Pular para o conteúdo principal

BATALHA NAVAL NA CPI DA COVID

A CPI da COVID lhe parece estranha? Parece, não parece? Antes das sessões, são borrifados em todo o recinto, 10 litros de óleo de peroba. Exatamente 10 minutos antes de cada sessão, senão o efeito retarda. Aliás, retardar é um verbo que não pode ser confundido com o substantivo (que hoje em dia não se usa por questões éticas) mas, que antigamente na área da medicina era usado para identificar pessoas com retardo mental (retardado), que é o caso de algumas figuras nestas sessões malucas da CPI da COVID. Parecem um bando de loucos por encenação. Deviam ter feito escola de teatro, logo, estariam trabalhando em novelas da Bobo.

Descobrimos, através de nosso repórter infiltrado, que as sessões são um disfarce. Toda essa encenação na verdade não passa de um jogo bastante conhecido de todos nós: A antiga "Batalha Naval". Particularmente joguei muito quando era criança. Vocês se lembram? Você distribuía seus submarinos, fragatas, porta-aviões, torpedeiros e outras embarcações de guerra em um tabuleiro onde existiam quadrinhos que eram marcados na vertical com letras e na horizontal com números. Então o outro jogador tentava adivinhar onde você havia escondido suas embarcações. O jogador 1 fazia sua tentativa: "A1!"...  E você respondia água ou fogo. Água se não houvesse nada naquela posição em seu tabuleiro, ou fogo, se o jogador 1 acertasse uma posição sua em que houvesse uma embarcação. Vencia quem derrotasse a frota do outro jogador. Acho que quem jogou batalha naval já se lembrou, né? Então, é isso que eles estão fazendo nessa CPI, só que em códigos que só os políticos conhecem.

Esse é um jogo de cartas marcadas, todos sabemos onde vai dar e nada muda, a curto prazo ou a longo prazo, no final, todos eles saem ganhando e o povo como sempre, leva mandioca.

Obrigado ao nosso repórter Esbrignight que descobriu todo esse "embromólio".

Mood

Texto e Ilustração: Mood

Postagens mais visitadas deste blog

JOÃOZINHO E A PÁSCOA

- Papai, o que é Páscoa? - Ora, Páscoa é ...... bem ...... é uma festa religiosa! - Igual Natal? - É parecido. Só que no Natal comemora-se o nascimento de Jesus, e na Páscoa, se não me engano, comemora-se a sua ressurreição. - Ressurreição? - É, ressurreição. - Marta, vem cá! - Sim? - Explica pra esse garoto o que é ressurreição pra eu poder ler o meu jornal. - Bom, Joaozinho, ressurreição é tornar a viver após ter morrido. Foi o que aconteceu com Jesus, três dias depois de ter sido crucificado. Ele ressuscitou e subiu aos céus. Entendeu? - Mais ou menos ....... .Mamãe, Jesus era um coelho? - Que é isso menino? Não me fale uma bobagem dessas! Coelho! Jesus Cristo é o Papai do Céu! Nem parece que esse menino foi batizado! Jorge, esse menino não pode crescer desse jeito, sem ir numa missa pelo menos aos domingos. Até parece que não lhe demos uma educação cristã! Já pensou se ele solta uma besteira dessas na escola? Deus me perdoe! Amanhã mesmo vou matricular esse moleque no catecismo! -

Final dos tempos

Como dizia minha mãe: "É o final dos tempos.". Hoje fico em dúvida sobre o que ela queria dizer com essa frase, mas no momento em que era dita, fazia todo o sentido do mundo. E lá se vão 40 anos! Falando em tempo, mês passado já não sabia se estava fazendo 55 anos de vida ou 56. Pode não parecer,  mas isso mexe demais com o nosso subconsciente. Cheguei a pensar: "Eram os Deuses astronautas?". Talvez... Mas o que o suco de abacaxi tem a ver com o rabo da lagartixa? Essa é uma história longa demais que vou deixar para outro dia. O importante é que o envelhecimento da mente é muito preocupante. Sei que sempre houveram catástrofes, desde os tempos mais remotos. Temos referências históricas sobre esses fatos, seja em hieroglifos ou em textos de papiro. O fato é que vivemos em um planeta sujeito à mudanças climáticas, acomodações de placas tectônicas e tudo o mais. Se formos pensar bem, não é que esteja acontecendo mais do que antes, o fato é que a população mundial cresc

Selva!

Como diria o Tarzan: "Ôoooooooooo ô o o..... oooooooooo!". E o Brasil foi para o brejo, novamente. Depois de quatro anos limpando a "merdalhada institucionalizada" durante os 14 anos de poder dos vermelhos, voltamos a estaca zero. Não adiantou nada o Mito ser honesto, chorar diante das câmeras, abaixar a cabeça diante do "Careca Xavier da Corte", que acabou levando fumo. Faltou socar o pau e lutar de igual para igual contra o bando de corruptos. Não adianta, se você vai lidar com bandidos, deixe as flores em casa. Fale e aja de igual para igual, senão você será engolido. Ouso até dizer que os ditos patriotas foram muito inocentes. A esquerda vermelha está acostumada com a "maracutaia", sabe bem o que fazer para distorcer a história. E não se enganem, com muito dinheiro. O que mais ouvi nesta corrida eleitoral foi a palavra "narrativa". Só cego não vê que, dos dois lados, houve uma enxurrada de desvios de narrativas, falsas notícias, coi