Pular para o conteúdo principal

A COMÉDIA DE TODOS OS DIAS


Não parei de rir a noite inteira e mal consegui dormir. Vocês já perceberam que os programas de TV estão todos conectados seguindo a mesma linha? Pensando nisso, só há uma classificação para todos. São todos programas de humor. Os jornais já não nos deixam assim tão tristes, a não ser quando uma criança morre ou vemos desabrigados e refugiados sofrendo, seja por ações humanas ou simplesmente climáticas. Mas deixemos isso de lado por um instante e voltemos ao humor.

Ontem, ao assistir o Jornal Nacional.... Pode parar, você que está pensando: "Ah, mas esse cara assiste o Jornal Nacional, então é alienado." Nada disso, eu também preciso de humor de vez em quando. E não adianta achar que um ou outro jornal é melhor, todos seguem uma mesma linha de jornalismo, nenhum é melhor ou pior. As notícias são as mesmas, só mudam o texto. As notícias de ontem fariam até um moribundo sorrir, ou exagerando um pouco mais, faria uma defunto levantar de seu leito de morte. Credo, não sei porque, lembrei do Michael Jackson. Deve ser pelo seu clipe "Triller".

Vamos por partes, como diria o Dr. Jack. Os partidos políticos enchem os intervalos com aquelas propagandas horrorosas falando sobre saúde e educação, onde os interlocutores ficam vesgos ao ler o texto que está à sua frente e de maneira triste fazem as frases não terem sentido algum. É assim ou não é? Sem contar o fato de que essa publicidade em horário nobre deve custar muito caro. Sim, ou vocês pensam que essas propagandas em horário nobre são de graça? Adivinha quem paga? Por isso, relaxe e curta o humor que existe nos detalhes.

Quando uma notícia começa com a seguinte frase: "O governo Federal..." Ahhhh meu camarada, encha o seu peito de ar porque você vai precisar muito dele. Ai vem humor em dose dupla. Alguma vez na história você riu tanto com um governo, desculpa, desgoverno? Não existe na história mundial, pode procurar. Chega a ser humor patético. E a tal da CPMF? Parece um casal em noite de núpcias. É um tal de tira e põe que gera uma expectativa infinita. Mas tem gente que gosta. Gosta tanto que até sugere que o povo brasileiro não irá se importar, como disse o Grande Ministro da Fazenda "Joaquim Leveiomeu". "Todo mundo está disposto a pagar um pouco mais de imposto." - disse ele. To rindo até agora imaginando a mãe e o pai dele vendo ele dizer isso:

- Fofucha, ele disse isso?
- Disse, alto e em bom tom. Fez até rima.

É o que sempre digo: "Pimenta no fiofó dos outros é refresco."

São tantas as piadas que se me lembrar de todas, prometo que comento. Mas essa foi uma das melhores. O senador pelo PSDB, Zé Motossera, soltou uma que por sorte saiu pela boca, se fosse pelos países baixos, seria uma bomba nuclear. Ao ser perguntado sobre o que achava da decisão do supremo de suspender a ajuda de empresas privadas em campanhas políticas, Zé Motoserra disse a seguinte frase: "Como vamos fazer campanha sem dinheiro?". Eu respondo: "Já pensou em trabalhar?" Olha onde chega a cara de pau de um político. Para esses caras, que vivem do dinheiro alheio, é a coisa mais normal do mundo. Devemos apresentá-lo à pá e a enxada.

Já que falei do Zé Motossera, lembrei-me do Governo do Estado. Ontem vi um vídeo que mostrava um empregado da SABESP, daqueles que fazem a leitura de seu relógio de água para medir o quanto você usou de água para lavar o "forébis", países baixos, o carro e a calçada. O cidadão, sentado em uma padaria, tomava sua "coca-cola", no maior sossego e entre um gole e outro, imprimia várias faturas, sem se importar com o movimento. Imagina você, cidadão que faz a maior economia d'água, colhe água da chuva, lava o carro na chuva, faz xixi o dia todo e só da descarga à noite, toma banho somente aos sábados. Hein? Imagina? E ainda é obrigado a ouvir o Governador do Estado Geraldo "Aidemim" dizer: "Vamos rezar para que Deus mande chuva." Kkkkkkkkk.... Quer mais humor que isso?

Para quem me acompanha, deve estar pensando: "Não vai falar da Dilmanta?" Enganei todos vocês. Deixei para o final. Todos estão ouvindo falar do tal de "Impeachment", não é? Em português seria algo como impedimento. Impedimento é uma coisa que só o Arnaldo pode comentar:

- Isso foi impedimento Arnaldo?
- A regra é clara, impedimento!

Agora, tenta imaginar, só por um momento, um momentinho só. Olha a carinha que a Tia Dilma deve estar antes de dormir.... Carinha de que não passa uma agulha, não é?

Mood

Texto/Ilustração: Mood

Postagens mais visitadas deste blog

Biden fala sobre atentado a Donald

"A América não pode se calar!" - Disse o Presidente Americano João Biden. Em seu primeiro pronunciamento após o incidente na Pensilvânia com Donald Trump, Biden pede ao congresso para reabrir o caso Roswell e convoca os agentes aposentados do extinto Projeto Livro Azul. Preocupado com as reações do povo americano ao atentado em que Donald Trump supostamente levou um tiro na orelha; levou uma mordida de pernilongo da dengue; levou uma mordida de Mike Tyson; levou um tiro de um sniper de 6 dedos na mão direita; Biden fez seu pronunciamento 2 horas após o incidente. "Não podemos permitir que invasões alienígenas desviem o foco das eleições mais limpas que o mundo democrático já viu. Onde já se viu, atirar no Pato Donald! O que a Disney fez?" Repórter Esbrignight para o plantão do Jornal Irracional. Texto/Arte: Mood

Taxação no QI dos brasileiros

Haddad, o criador de taxas e tributos, em um momento de nada para fazer, cria a taxação do QI do povo brasileiro. Maior o QI, maior a taxa. Ao passar sua brilhante ideia ao Presidente Lelé da Cuca da Silva, esqueceu-se que seu patrão tem QI zero.

Atentado contra Trump

Mosquito, possivelmente da dengue, morde a orelha de Trump durante discurso em evento de campanha na Pensilvânia. Obviamente o mosquito mordeu o local com maior área de acesso, ou seja, a lapa da orelha de Donald Trump, que facilitou o delito. Tudo aconteceu em uma sequência de fatos que levaram os agentes de sua segurança a agir por instinto e intervir de maneira enérgica. Um sniper da segurança que estava posicionado em cima de um telhado próximo ao evento, foi alvejado por outros agentes. Ao perceberem a reação de Donald Trump levando a mão direita até sua "pequena orelha - maior metro quadrado de seu corpo" e em seguida se abaixar, os agentes focaram no único alvo armado possível, seu próprio agente sniper. Segundo investigações preliminares, o atirador tinha seis dedos em sua mão direita, foi filiado ao partido PSOL no Brasil e ao morrer fez o L com sua mão direita. Mais informações logo mais no Jornal Irracional. Repórter Esbrignight para o plantão Moodcomics. Texto/art